Sweekend – A festa Living With

Recebemos diversos e-mails pedindo para falarmos sobre a Festa Sweekend. Pelo que pesquisamos, foi super bem comentada e tinha um formado diferente das demais festas que escrevemos sobre aqui. Então como é praxe, pesquisamos e garimpamos por indicação o contato de um dos casais organizadores. Para contar a história desse evento, e matar a curiosidade dos nossos leitores.

Festa Sweekend, o começo

Antes de contar como surgiu a ideia da festa, é preciso contextualizar para facilitar. Um dos casais organizadores o Casal Sweet, segundo nos contam, têm 20 anos no meio, ou seja nesse período eles acompanharam o surgimento de muitas tendências no meio. Diversos clubes, tidos como confrarias quase secretas e poucos frequentadores para a gradual mudança para as baladas liberais. Presenciaram também o crescimento do público swinger, das segmentações das tribos, e expansão de redes sociais.

A ideia da festa nesse formato que aconteceu, veio da nostalgia das antigas festas do meio, vivenciadas pelo casal.  “Porque quando iniciamos no swing, o casal Richard & Suellen organizava festas no interior de SP. Era feitas em chácaras, que duravam todo o final de semana, em uma experiência de convivência. Além de muita festa, rendiam estreitas amizades. Fizemos grandes e queridos amigos, de todo o país.” nos conta a senhora Sweet.

O Backgroud do casal

O fato de fazerem festas para casais há muito tempo, transitar por todas as tribos do meio, aumentou o ensejo de fazer um evento plural. Que pudesse servir para a aproximação desses grupos, em uma experiência de convivência. Daí a idéia de uma final de semana, em um hotel fechado, que tivesse, além das festas, outras atividades de integração. Porque nos clubes, ou em festas fechadas, há uma certa dificuldade de conversar e fazer amigos, e eles sentiam falta disso.

Apesar de muitos casais buscarem apenas por contatos efêmeros, a experiência deles dizia apontava outra direção. A intimidade da convivência pode facilitar e esquentar as relações entre os casais, no swing. E a finalidade é sempre esta, não é? Esquentar… Por fim, o nome SWeekend foi pensado como uma marca, mas tem, sim, seus significados. Foi uma criação da Sra. Sweet, e resume a idéia principal do evento: Uma experiência swinger de final de semana.

Qual a missão?

O objetivo, sempre foi oferecer uma experiência de convivência. Para isso, a programação tinha atividades que iam além das festas noturnas. Visavam criar ocasiões em que os casais pudessem ter a chance de conversar e de se conhecer melhor, fora do ambiente pouco propício da balada. Para o casal, fica claro que, na balada, existe aquele approach físico, sensual, mas a intimidade criada pela convivência é um facilitador. Isso se confirmou durante as festas principais, realizadas no salão do hotel, na sexta e no sábado à noite. Nas quais receberam, além dos casais hospedados no hotel, muitos casais da região, não-hospedados. “A sinergia entre os casais hospedados, que passaram os dias juntos, era muito evidente.” diz a organizadora.

Sweekend o que você precisa saber

Esta foi a primeira edição, e contou com 236 hóspedes, limitados ao número de apartamento do hotel (120). E nas festas noturnas, recebemos mais 200 convidados não-hospedados, aproximadamente, aqui limitados à capacidade do salão de eventos. A festa foi realizada em um hotel quatro estrelas, localizado no centro de Curitiba. E incluía hospedagem, parte das refeições mas sem traslado.

O uso de celulares era permitido apenas na área do bar, e proibido na pista, no lounge, nos camarotes e na área íntima. Um fotógrafo do evento estava disponível na área do bar, somente para quem pedisse para fazer fotos. Nenhum registro foi feito sem solicitação, nem haverá publicação.

A boa notícia é que foi um sucesso, e ao que parece a aceitação foi muito boa. A má notícia é que esta foi a única edição da SWeekend. O Casal Sweet vai organizar outros eventos com formato similar, incluindo festas e hospedagem. Mas essa foi edição única. Como foi a única edição, não mantiveram no ar o site, nem grupos, páginas e eventos nas redes sociais.

Como foram os 3 dias de festa?

A programação foi extensa! Na sexta-feira o check-in iniciou às 14h, em seguida foi aberto o bar da piscina, com música ao vivo. No início da noite, aconteceu um coquetel, já no bar do salão principal, com open bar e comidas, com a participação do DJ Adriano Irala. Às 23h começou a Pole Party, com as Djanes Hiorrana Amâncio, Topless, Gih Guerra e Juliana Lopes. A festa se encerrou às 6h, quando o café-da-manhã já aguardava os hóspedes no restaurante.

Já no sábado, houve um almoço, no próprio hotel, seguido da Pool Party, que só rolou mesmo fora da piscina (ah, a temperatura curitibana!), com os DJs Kaká Franco e Thiago Guerra. À noite, novamente no salão principal, aconteceu a última festa do evento, embalada pelos DJs Filipe Caldonazzo, Bandolero, Edu Zinn, Estevam Caldonazzo e o projeto PIMP CHIC.Ou seja, alguns dos principais nomes da cena eletrônica nacional. A festa acabou, aconteceu o café-da-manhã, rolaram muitos afters pelos apartamentos. Como muitos casais já estavam entrosados, os afters duraram a manhã toda! O evento terminou às 12h do domingo.

Os patrocínios e parceiros

O Hot Bar, preparou um aconchegante lounge ao lado da pista principal. Para os casais que preferiam menos agito, além de ter uma camarote reservado aos seus convidados, na pista. O Hot também abriu suas portas, em São Paulo, para um preview da SWeekend, algumas semanas antes do evento. Para os casais que já tinham presença confirmada em Curitiba puderam se conhecer e trocar contatos.

Em Curitiba, a Sex Night Club também gentilmente abriu suas portas para uma noite fechada exclusivamente para convidados da SWeekend. Estes pré-eventos foram ótimos, ajudaram os casais a se conhecer e agitaram os grupos de WhatsApp, criando uma enorme expectativa para a festa.

A Vênus Swing Club, de Curitiba, que preparou a área íntima mais confortável e linda que já se viu em um evento. Muitos dos casais, mesmo aqueles hospedados, preferiram usar o Espaço Vênus – que ficava logo ao lado do Lounge Hot Bar – em vez de subirem aos seus quartos, para brincadeiras entre casais. A Vênus ofereceu, um camarote em sua casa, na quinta-feira anterior ao evento. Para aqueles casais que preferiram antecipar sua chegada a Curitiba, e uma van que os transportou do hotel à casa noturna.

Os super parceiros

Os parceiros, produtores das festas Privilege Elegance, SOB, For Friends e Sexy Party. Essas parcerias foram fundamentais, no sentido de manter o conceito de uma festa privada. Somente para casais e singles já conhecidos, das relações de cada um destes produtores. Esta integração fortalece a cena, valoriza os produtores sérios, e garante a segurança e a privacidade dos casais.

A pré-seleção

Inicialmente,  o evento foi divulgado somente através de outros produtores de festas, com o objetivo de garantir a presença, apenas, de casais reais, e singles selecionados. As festas swingers parceiras e mais prestigiadas no meio Privilege, For Friends, SOB, Sexy Party ajudaram a incluir os melhores perfis. Somadas aos nossos próprios grupos de WhatsApp e Facebook, isso garantiu uma excelente pré-seleção. A princípio, só eram aceitas reservas de nossos grupos e dos convidados de nossos parceiros.

Quando a notícia se espalhou, alguns critérios tiveram que ser estabelecidos, como haver amigos reais em comum, que pudessem atestar a condição de casal real, ou que pudessem se responsabilizar, no caso de singles. Deu um pouco de trabalho, mas segurança, privacidade e discrição são uma grande preocupação para todo o meio, e no evento não foi diferente.

Momentos Gossip do Evento

As histórias são muitas, algumas muito engraçadas, outras muito sexys. O hotel foi palco de muita ferveção, principalmente na tarde de sábado. Alguns casais preferiram fugir do friozinho da cobertura, onde estava rolando a Pool Party, e fazer suas próprias festas. Nos apartamentos e até nos corredores do hotel. O festerê mais comentado aconteceu no 11º andar, onde muitos hóspedes e seus convidados tomaram os quartos e o corredor. A brincadeira rolou solta a tarde toda e o melhor de tudo é que todos eram bem-vindos!

E foi também lá que aconteceu um fato inusitado. Um casal, ao sair do seu apartamento e se deparar com a festa caliente, correu para os elevadores e, na portaria, fez uma reclamação ao hotel. Causando aos demais hóspedes a impressão de que o hotel hospedara pessoas de fora do meio. Como o hotel foi completamente reservado para hóspedes “liberais” convidados da festa, a organização teve que averiguar.

E Surpresaaa!! O que houve? O casal que reclamou tinha perfil certificado no CRS há anos (procurando por casais, homens e mulheres) e havia nos contatado através de outro casal de sua cidade. “O fato nos fez pensar, ainda mais, em como há pluralidade no meio, como há casais diferentes, buscando por situações também diferentes entre si; como cada casal tem uma expectativa própria sobre um evento assim. Aliás, cada casal tem uma expectativa própria sobre o swing em si, não é?” questiona a Sra. Sweet

Conseguiram atingir o objetivo?

Perguntamos se haviam conseguido atingir o objetivo da festa. Em resposta o casal organizador nos respondeu: “A principal intenção deste evento era testar o formato. Antes da festa, não havia como avaliar se um evento com esta configuração teria o interesse do público. Ou se estávamos nos deixando levar pela nostalgia. Pelas lembranças dos finais de semana que passamos na companhia de tantos amigos. Este objetivo foi atingido sim, a julgar pela procura pelos pacotes, pelo feedback que tivemos dos casais, positivo, na imensa maioria. E mesmo as reclamações pontuais que tivemos serviram a este objetivo, de testar o formato e aperfeiçoá-lo.

SWeenkend no more?

Bom, como o Casal Sweet nos contou anteriormente, o nome do evento irá mudar, porém ainda terão outras edições. Pelo que entendemos, virão com mais novidades. Fazia parte do projeto inicial, a criação de uma rede virtual, uma comunidade exclusiva para os convidados, com o principal objetivo de segurança na comunicação entre os casais – o que ainda faz parte de nossos planos. Então se preparem, e fiquem atentos para descobrir em qual andar a galera do 11 vai ficar (risos). Continuem nos acompanhamos que postaremos atualizações sobre esse evento, ok?

 

 

Curtiu? Compartilha!

Reinaldo Espada

Editor e Redator da Revista Swing, aficcionado em filmes, super antenado em novidades tecnológicas, adora casas de swings e encontros liberais. Forma um casal liberal com a Raissa Espada sua esposa CRS 43965 .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *