Rejeição em público – Você sabe lidar?

Essa semana a internet está tomada com comentários, gifs e memes do “toco” que uma apresentadora Maisa deu no seu companheiro de trabalho publicamente. Ao ver o vídeo dessa rejeição em público, pensamos nessa situação. Em como pode ser extremamente constrangedora para casais iniciantes e até veteranos a necessidade de rejeição em público, então decidimos escrever para tentar ajudar.

Haverão ocasiões em casas de swing ou festas liberais em você é o objeto admiração. Talvez de um admirador que você não tenha interesse, ou não ache atraente sexualmente. Essas situações podem ficar extremas rapidamente. Ir desde alguém que fica enchendo o saco pedindo para dançar com você, para alguém que não os deixarão sozinhos. Que irá segui-los a qualquer lugar que forem. Agora, você escolhe como lidar com essas pessoas, e isso dependerá muito de como elas estão agindo.

Se alguém simplesmente se aproxima de você e pede que você dançar ou ir para o reservado. Se vocês não estão interessados e não acham que vão mudar de ideia, sejam educados, mas firmes ao dizer “Obrigado, mas NÃO” está em ordem. Ou você pode dizer sim a apenas uma dança, e depois partir para outra interação. Apenas certifique-se de não dar nenhum motivo para pensar que eles terão mais do que isso. Se eles tornarem a insistir, use a resposta “Não” educada mas firmemente.

A importância da linguagem verbal

Quando você diz apenas “Não” você elimina qualquer ruído na comunicação. E faz sua vontade ser bem clara para quem está solicitando. Evite dizer “não agora” ou “talvez mais tarde“, a não ser, claro, que seja isso que queiram. Se você tem um admirador que não te deixa em paz, talvez você precise ser mais firme e dizer que os deixem em paz e que não estão interessados. Se a pessoa continuar abordando vocês até o ponto de deixá-los constrangidos, acuados ou sentirem-se assediados. Simples, encontre o anfitrião ou alguém na equipe, diga o que está acontecendo e peça que a pessoa seja removida. Isso pode ser feito facilmente sem fazer uma cena e com o máximo de discrição. Ninguém quer alguém na festa que não entenda o significado da palavra “Não”. O anfitrião deve convidar o “inconveniente” à se retirar. Se o anfitroão não estiver disposto à fazer, sinceramente essa festa não vale a pena.

Analfabetos da linguagem corporal

Muitas vezes para que alguém entenda o que você está dizendo, é preciso você falar. Ai, você está lendo e pensando, redundância não, por favor. Ok, explicaremos melhor. As vezes, quando nos sentimos desconfortáveis, simplesmente nos afastamos, fechamos a feição e ou esperamos que entendam a dica. Na boa, tem gente que é muito ruim na leitura da linguagem corporal, ou analfabetos mesmo nessa linguagem. Portanto, se alguém o deixa desconfortável, o melhor movimento que vocês podem fazer é verbalizar. Ninguém merece sentir-se incomodado a noite todinha por medo de machucar o sentimento de um inconveniente. Se estão te incomodando, deixe claro para eles que vocês não estão interessados. Muitas vezes, evitamos dizer não ou ser contundente porque não queremos fazer uma cena, mas às vezes fazer uma cena é necessária.

Nós da Revista Swing conversando com um casal de amigos, sobre esse tema, e eles nos deram um depoimento bem interessante. Perguntamos se podíamos reproduzir aqui para exemplificar e ficar mais didático. Disseram que sem problemas mas não quiseram se identificar, para não parecerem metidos. É óbvio que serão atendidos.

Depoimento de um casal amigo

Nossa, eu lembro a primeira vez que tentei ir a uma festa swinger como uma solteira e divorciada. Eu já era do meio há anos, porém como casal, mas depois do meu divórcio eu queria saber como era ser solteira no meio. O que tinha de diferente? Eu tinha que aprender que minhas decisões dependiam apenas de mim agora. Eu não tinha um marido para correr de volta para proteção. Era só eu. Sendo bissexual, eu vi muitos níveis de pegação de homens e mulheres.

Um dia da caça, outra…

O que me causou um certo choque foi que as mulheres eram muito mais difíceis de investir e simplesmente diziam “Não”. Eu nem sabia como reagir a tanta rejeição em público. Na contramão do que eu pensava, os homens pareciam ser mais bem comportados do que as mulheres. Até que  tive uma situação com um homem que enquanto estávamos na pista de dança, ele ficou me azucrinando para ir para o reservado. Eu o parei enchi a boca e disse: “Não quero. Obrigado! Procure outra! ” Ele se afastou. Eu acho que se eu tivesse tentado um pouco mais com as mulheres, teria me divertido mais naquela noite.

E isso acontece mesmo, se permitir

Teve uma outra vez em que eu estava em uma festa e uma amiga minha, bem safada, parecia estar muito desconfortável. Quase todos os homens da sala estavam agarrando ela aparentemente de formas desconfortáveis. Dava para ver na linguagem corporal que ela não estava confortável. Mas ela também não estava dizendo “Não”. Eu decidi me intrometer e puxei ela com a desculpa de ir no banheiro, ai eu perguntei. Menina o que era aquilo? Você estava gostando daquilo? Ela disse que não, mas ficou intimidada para dizer “Não”. Por medo de ser taxada como chata.

Concluindo

Então, tenham sempre em mente que a regra número um no meio liberal é que “não, significa não”, mas isso pode não significar nada se você não disser a palavra. Se você está interessado em um casal, se aproxima e eles demonstram falta de interesse, entenda que isso é um “Não”. Não se aproxime várias vezes de um casal depois que expresaram o “Não” para você. E não tente se inserir em uma situação em que você não foi convidado. Só porque um casal ou mais casais estão transando na cama coletiva, não significa que você tenha um convite aberto para se juntar. Sempre pergunte primeiro, e no primeiro sinal de “Não” (seja verbal ou físico), você deve se retirar da situação.

Em festas e ocasiões, as pessoas bebem demais e as vezes não se dão conta do que estão fazendo. Não deixe que seja você. Saiba o quanto você aguenta beber, não seja um bêbado chato que agarra todo mundo. Se vocês são a paquera de alguém e percebeu que ele(s) beberam demais, mantenham-se atentos para o aproach. E saiba rejeitar se assim o desejar. Se estiverem sozinhos, encontre o host ou um segurança.

 

 

 

Curtiu? Compartilha!

Reinaldo Espada

Editor e Redator da Revista Swing, aficcionado em filmes, super antenado em novidades tecnológicas, adora casas de swings e encontros liberais. Forma um casal liberal com a Raissa Espada sua esposa CRS 43965 .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *