Bi Masculino – O homem Bissexual no swing

A sociedade é brasileira é extremamente machista e conservadora. Isso nos leva a conclusão de que se a comunidade swing é um pequeno universo e está contida na sociedade, logo a comunidade swing também é machista e conservadora. Por esse motivo demonizam o sexo bi masculino.

Antes de começar este artigo, foram lidos muitos fóruns, matérias e discussões em comunidades específicas a cerca desse assunto, um dos fóruns lidos com mais respostas foi tabulado com o propósito de entender melhor, ou apenas ter uma noção visual do que estava sendo expresso, foram 2678 respostas de usuários diferentes sendo 36.1% casais, 37% mulheres e 26.8% homens (lembre-se que não somos instituto de pesquisa, e muito menos esses números podem ser usados para representação do universo que sugerimos, ok?) esses dados são apenas para fins didáticos e para ilustrar o que está sendo dito.

86.4% das mulheres respondeu ou insinuou que sentiria tesão em presenciar o sexo bi masculino durante uma troca ou ménage.

58.3% dos homens solteiros responderam ou insinuaram que já tiveram algum tipo de contato bi masculino.

35.4% dos homens responderam ou insinuaram aceitar participar de um sexo bi masculino sendo ativo.

64.6% dos homens negam qualquer intenção ou desejo participar de sexo bi masculino.

93.9% dos casais negam desejar ou aceitar a interação do marido com outro homem.

Ao ler esses fóruns foi possível perceber que em grande parte das respostas. As mulheres não acreditam que dois homens se pegando durante uma troca vá interferir na masculinidade. Em contra partida uma parcela esmagadora de casais não aceitam a interação entre homens. A não ser que o Google Planilha tenha dado pau, o que é improvável, o curioso é que esses resultados acima confirmam o seguinte. Se 93.9% de casais mulher-homem não aceitam de nenhuma forma a interação. E 86.4% de mulheres responderam que sentiriam tesão em apreciar a cena. Então tem coelho se escondendo nesse mato, pois tem muitas mulheres que até aceitam nesse bolo.

E o Pulitzer vai para…

Ohh! puxa vida! “O Casal de Espadas revelou uma gigantesca rede de sonegação de gostos. Eles vão ganhar o Pulitzer! “. Calma pessoal, essa foi apenas uma tentativa de demonstrar o quanto de desejo está guardado dentro de homens, mulheres e casais brasileiros por conta de convenções sociais arcaicas (quase mesopotâmicas). Ou seja, esses números mostram que é necessário respeitar as opções dos outros. Pois ainda ficaram coelhos escondidos nesse mato. Vai que é ou será você num futuro, ou a pessoa do seu lado.

Então empatia, respeito e serenidade ao tratar desses assunto é apenas o mínimo. Basta conversar de maneira franca e sincera com seu parceiro ou com o outro casal que se pretende fazer a troca, porque isso não é coisa do outro mundo, mas sim questão de gosto e preferência. E se você é um casal em que você homem gostaria de uma experiência bissexual – claro, depois de ter conversado com sua parceira – fique sabendo que tem muitos outros casais que também gostariam, encontre-os e se divirtam.

Se gostaram, compartilhem, pois isso está nos ajudando bastante.

 

 

Reinaldo Espada

Editor e Redator da Revista Swing, aficcionado em filmes, super antenado em novidades tecnológicas, adora casas de swings e encontros liberais. Forma um casal liberal com a Raissa Espada sua esposa CRS 43965 .

2 comentários em “Bi Masculino – O homem Bissexual no swing

  • abril 19, 2017 em 3:42 pm
    Permalink

    Parabéns pelo texo, de verdade. Não só pelo resultado, pela estrutura, mas pelas indagações e pesquisas pertinentes sobre nosso comportamento e socidade. Confesso que ainda que novo, tenho tempo no ramo “liberal”, mas após esses poucos anos eu tenho a convicção que o meio social mais hopócirta que vi infelizmente é o liberal (que compões casais que praticam menage, swing, etc). É uma pena muito grande e, consequentemente, desanima muito praticantes ou simpatizantes.

    Resposta
    • abril 28, 2017 em 7:48 pm
      Permalink

      Obrigada pelos elogios, continue nos acompanhando 😁

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *